domingo, 12 de julho de 2015

Alimentação natural para Psitacídeos

Livres na natureza essa categoria de aves alimenta-se de uma grande variedade de frutas em especial
Como alimentar araras, papagaios, cacatuas, agapornis, calopitas, periquitos ...


Sempre nos questionam aqui no blog ou pela loja virtual quais são os alimentos naturais que podem ser utilizados para aves. Como essa não é nossa área de atuação, convidamos a Dra. Priscila de Medeiros Gomes, especialista em animais silvestres que atua aqui em Florianópolis pra nos ajudar a esclarecer isso aos leitores.
Importante deixar claro que o Bicho Integral não concorda com engaiolar animais e mantê-los privados do que seria natural para cada espécie e essa orientação é passada por nós seja qual for a espécie em questão, porém as aves que são comercializadas livremente em nosso país, estão em vários lares brasileiros e passarmos orientações nutricionais não significa fazer apologia ao cativeiro, certo? Recado dado aos encrenqueiros de plantão, seguimos com o post!

Com a palavra a Dra. Priscila:

"As aves na natureza são em sua grande maioria consumidoras assíduas de frutas, verduras e legumes. Geralmente em grande variedade de espécies e principalmente de cores. Sim, para as aves as cores tanto da comida como de seus parceiros são muito importantes, ou seja, quanto mais colorido, mais atrativo.

Enganam-se aqueles que oferecendo uma mistura de sementes você estará oferecendo uma dieta balanceada. As sementes geralmente possuem uma relação de cálcio e fósforo desbalanceada e representam, na natureza, cerca de 35% da alimentação de um psicitacídeo. Apesar de serem extremamente atrativas para as aves, elas em um modo geral possuem um nível de gordura muito alto, podendo acarretar em problemas nutricionais e hepáticos posteriormente. Ao oferecer uma mistura de sementes, procure se informar sobre os processos de esterilização das mesmas. Sim, elas devem ser desinfectadas, pois as sementes, devido ao seu alto teor de gordura, são fontes extremamente energéticas para bactérias e fungos. Estes ao infectarem as sementes podem liberar micotoxinas e intoxicar seu companheiro.

De um modo geral a dieta dos psicitacídeos é constituída em 60% de frutas, verduras, legumes. 30% de sementes, e o restante são oferecidos em forma de ossos de ciba, farinhadas e alguns grãos.
As farinhadas podem ser oferecidas a cada 3 dias mais ou menos, e geralmente são constituídas de ovos cozidos, probióticos e prebióticos, além de produtos oriundos do milho ou arroz. O ideal é oferecer em média duas colheres de café por animal por semana.

Há uma gama de variedades de frutas que você pode oferecer, procure ofertar as frutas da estação e lembre-se deixar o prato bem colorido para o seu animal. Banana, kiwi, mamão, maçã, pêra, manga, goiaba, maracujá e laranja são frutas que você encontra com facilidade e que podem ser ofertadas. 

Tome cuidado para não deixar muito tempo expostas, pois podem oxidar e acabar causando diarreia.
Ao se oferecer grãos, procure deixá-los pré cozidos. Estes podem ser milho, feijão branco, ervilha, grão de bico.

Os legumes também são vários que podem ser ofertados, procure oferecer produtos sem agrotóxicos. Exemplos: abobrinha, cenoura, beterraba, berinjela, pepino janponês, jiló, quiabo, inhame, batata doce (cozida), abóbora, brócolis.



Já as verduras dê preferência a folhas verdes escuras e de hidropônicas ou orgânicas.
Lembre-se, você oferecendo uma alimentação natural, sua ave pode diminuir o consumo de água, pois na grande maioria as frutas e legumes possuem bastante líquido em sua composição.

Se seu animal estiver habituado somente com ração extrusada ou mistura de sementes, não deixe de insistir, são curiosos por natureza e vão acabar experimentando a alimentação natural, mas não tire a ração que ele já está acostumado. Algumas vezes pode demorar até meses para fazer com que eles experimentem, mas não desista... ofereça sempre alimentos frescos e bem coloridos para chamar atenção dele. Procure fazer uma pesagem frequentemente e observe a coloração as penas. Qualquer alteração nas penas ou fezes procure um médico veterinário para que possa examiná-lo."
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sete vantagens do Uso da Homeopatia em Veterinária:

1. Não requer experimentação cruenta em animais.

2. Não utiliza drogas de elaboração industrial, artificial, tóxicas e/ou contaminantes.

3. Pode prescindir de vacinas ou outros meios artificiais para a prevenção das chamadas enfermidades contagiosas evitando assim, muitas vezes, sérios efeitos colaterais negativos.

4. Promove de forma terapêutica e favorece ideologicamente mudanças de atitude vital, tanto dos pacientes quanto dos terapeutas e cuidadores, ajudando na construção de um mundo melhor.

5. Custo baixo!

6. Trata surtos epidêmicos em populações tanto de forma profilática quanto terapêutica.

7. Ao reequilibrar a energia vital do enfermo atua sobre o organismo como um todo (holos) melhorando não só os sintomas físicos como também os mentais, melhorando as relações com o ambiente, os sofrimentos, os medos, etc.