quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Homeopatia para iniciantes


Cuidados com os medicamentos homeopáticos
_____________________________________________________________________________  


           VAMOS COMPREENDER COMO A HOMEOPATIA ATUA NO SEU COMPANHEIRO?



Homeopatia é uma palavra de origem grega que quer dizer doença semelhante. Criada pelo médico alemão Samuel Hahnemann no século XVIII, a Homeopatia é uma especialidade médica e farmacêutica, reconhecida pelos Conselhos Federais de Medicina, Farmácia, Odontologia e Medicina Veterinária.

Para a Homeopatia, a doença aparece por conta de um desequilíbrio da energia vital, que é a responsável pelo funcionamento do nosso organismo. Essa energia mantém a vida atuando na preservação das funções e órgãos mais importantes em detrimento dos menos nobres, assim como sobre a totalidade anímica do ser. O restabelecimento do equilíbrio vital é o objetivo do tratamento homeopático.

Em Homeopatia tratam-se os doentes por meio de substâncias que, quando utilizadas em uma pessoa sadia, produzem sintomas semelhantes aos da doença a ser tratada. O medicamento escolhido é administrado em doses muito diluídas - doses infinitesimais - mas que tem energia suficiente para restabelecer a energia vital, devido a uma técnica chamada dinamização. Pela dinamização, a energia terapêutica que estava latente na substância bruta é liberada, passando a agir na energia do paciente. A dinamização permite diminuir os efeitos tóxicos ou agressivos da substância original e aumentar seu potencial curativo. É por isso que a Homeopatia permite utilizar os princípios curativos de substâncias muito venenosas sem causar mal ao paciente.

O clínico homeopata não investiga somente os sintomas isolados. Ele procura tratar o paciente como uma unidade formada por corpo e mente (unidade psico-física), que sofre a influência do meio externo (social e ambiental). É daí que vem a afirmativa de que "a Homeopatia trata do doente e não da doença" - quer dizer, o indivíduo é mais importante do que a doença !

Sendo a enfermidade um conjunto dos sinais e sintomas que indicam o desvio do estado de saúde normal, o objetivo do tratamento holístico é  reequilibrar a energia vital do paciente que rege o desenvolvimento do pleno potencial do indivíduo, incluindo os padrões de comportamento e todos os demais aspectos físicos e psíquicos.  Por isso aprenda a observar TUDO no seu amigão. Para o homeopata, horários, circunstâncias climáticas e posições de agravação e melhoria, desejos e aversões alimentares, mudanças de ânimo, medos e atitudes em geral são IMPRESCINDÍVEIS para o entendimento da dinâmica do paciente e para uma  prescrição mais acurada. OBSERVE!

A ação do medicamento homeopático é imediata, mas o tempo empregado no processo de cura dependerá de quão profundo é o adoecimento do paciente , da escolha adequada do medicamento e da resposta individual daquele paciente àquele medicamento. Nos organismos vivos há mais elementos envolvidos do que o simples agrupamento de células.

O tratamento homeopático não provoca efeitos colaterais, mas algumas vezes podem surgir sinais e/ou sintomas decorrentes da resposta ao medicamento. Nestes casos é importante comunicar ao veterinário homeopata. É por isso que se deve evitar medicar o seu companheiro sem o acompanhamento do especialista.

Da mesma forma, nunca associe medicamentos alopáticos ou fitoterápicos ao tratamento homeopático sem antes consultar seu clínico, mesmo que seja uma “simples” pomadinha!

Animais em gestação ou lactação podem ser medicados com homeopatia desde que acompanhados por veterinário especialista.

Comunique ao veterinário qualquer mudança no estado físico ou anímico do seu amigão. Pode ser preciso alterar a prescrição inicial em função das novas informações.

O medicamento homeopático é individualizado. O medicamento que curou o cão/gato ou piriquito da vizinha/parente pode não curar o seu e até fazer mal a ele.




Antes de começar a administrar o medicamento, confira o rótulo com a receita médica. Antes de usar, verifique a data de manipulação e a validade do medicamento. Só repita uma receita se o veterinário recomendar ou autorizar.

A boa relação médico-cuidador é fundamental para o êxito do tratamento.

Dê o medicamento preferencialmente longe das refeições. Se for dose única, dê em jejum, ou antes de dormir.

O medicamento homeopático deve ser manipulado por profissionais farmacêuticos habilitados a fabricá-lo e também a prestar a você todos os esclarecimentos sobre seu medicamento. Por isso, só compre seu medicamento homeopático em farmácias de manipulação homeopática.
Sempre que houver dúvidas com relação ao preparo e ao uso do medicamento, procure o farmacêutico. Mantenha o medicamento fora do alcance de crianças e animais para que não ingiram medicamentos não indicados para o seu caso.

Cuidados com o medicamento homeopático

Os cuidados com a homeopatia começam na escolha da farmácia que vai manipular pra você o medicamento homeopático que o seu peludo vai usar. Numa boa farmácia apenas o farmacêutico com especialização em homeopatia está autorizado a manipular essa forma medicamentosa já que a técnica farmacêutica de produção artesanal é cheia de detalhes que somente o profissional capacitado para tanto é capaz de dominar. Além de estar habilitado o farmacêutico deve ser capaz de prestar a você esclarecimentos relacionados à validade, ao armazenamento e cuidados com o produto.
Sempre confira o medicamento com a receita médica. Antes de administrá-lo, verifique o nome do medicamento, a potência (número após o nome), a escala (letras antes ou após o número) e a quantidade de álcool ( em %). Um exemplo seria: Arnica montana 30 CH (10% álcool).
O frasco deve ser de cor âmbar para proteger o medicamento da luz, evitando interferências em sua composição.
Ao levar a medicação para casa já começam os seus cuidados de armazenamento. Já que estamos falando de uma medicina vibracional, energética, temos que ficar atentos às interferências que podem sofrer sobre suas frequências e amplitudes de onda prejudicando o funcionamento adequado da medicação. Nunca coloque o medicamento dentro da bolsa se o seu celular estiver lá. Equipamentos eletroeletrônicos emitem ondas eletromagnéticas que interferem com o funcionamento adequado e o máximo aproveitamento do poder de cura da homeopatia. Escolha um local seguro para armazená-lo, não o deixe próximo do computador, sobre a geladeira, micro-ondas ou perto da televisão ou rádio. Não deve ser guardado dentro da geladeira em nenhuma situação. Ao transportá-lo, no caso de viagens ou translados, use uma latinha, é a melhor forma de protegê-los do RX de aeroportos.




Mantenha-os longe de tudo que tem fortes odores e aromas como armários de remédios e condimentos. Produtos canforados, mentolados ou com salicilato de metila não devem ser usados pois anulam o efeito dos medicamentos homeopáticos. Os canforados como vick vaporub, transpulmim, géis, pomadas, adesivos e emplastos para dor muscular contendo cânfora e mentol não devem ser utilizados por nenhum membro da família (humana ou peluda) durante o tratamento homeopático. Pode parecer exagero, mas não é e interfere na boa evolução do caso.
Isso não quer dizer que você está proibido de chupar balas de menta ou chicletes. Só não manipule a homeopatia com uma bala na boca, por exemplo, nem dê a dose do peludo junto com um tabule com hortelã! O mesmo serve para alimentos muito condimentados com ervas aromáticas e especiarias. Algumas contêm compostos canforados e mentolados e o ideal é que não sejam ingeridas próximas ao horário de medicar o paciente e que tampouco o frasco do medicamento homeopático fique guardado próximo a elas.
Outro importante cuidado com o medicamento homeopático é na forma de administrá-lo ao paciente. Quando a homeopatia estiver na forma líquida, goteje-a diretamente na boca sem encostar o conta-gotas na língua ou gengiva para evitar a contaminação ou misture com uma pequena quantidade de alimento líquido, iogurte, kefir ou caldo de ossos por exemplo. Caso o cão/gato lamba a parte de vidro do conta-gotas, esta deve ser fervida por alguns minutos antes de ser devolvida ao frasco. O melhor efeito da homeopatia é quando ela entra em contato com a mucosa oral diretamente ou diluída em um pouquinho de água ou algo líquido. Na forma de glóbulos a indicação é a mesma, virando os glóbulos na tampa do próprio medicamento sem encostar a mão no bocal e da tampa diretamente para a boca do paciente ou no bebedouro ou em um copo com pouquinho de água e depois de diluído dado com uma seringa diretamente na boca.  Pode ser misturada ao alimento em situações onde não há outra forma de fazê-lo, mas evite  alimentos quentes.




Namastê!



                                      homeopatas.vet@gmail.com

                                              Whatsapp:  (48) 9926-9006 
                                        Nosso site: www.bichointegral.com.br
                                                                       
                                            Nossa loja: http://www.loja.bichointegral.com.br/

                                                                            
                                                                                                   




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sete vantagens do Uso da Homeopatia em Veterinária:

1. Não requer experimentação cruenta em animais.

2. Não utiliza drogas de elaboração industrial, artificial, tóxicas e/ou contaminantes.

3. Pode prescindir de vacinas ou outros meios artificiais para a prevenção das chamadas enfermidades contagiosas evitando assim, muitas vezes, sérios efeitos colaterais negativos.

4. Promove de forma terapêutica e favorece ideologicamente mudanças de atitude vital, tanto dos pacientes quanto dos terapeutas e cuidadores, ajudando na construção de um mundo melhor.

5. Custo baixo!

6. Trata surtos epidêmicos em populações tanto de forma profilática quanto terapêutica.

7. Ao reequilibrar a energia vital do enfermo atua sobre o organismo como um todo (holos) melhorando não só os sintomas físicos como também os mentais, melhorando as relações com o ambiente, os sofrimentos, os medos, etc.